Páginas

terça-feira, 22 de maio de 2012

LAODICEIA, UMA IGREJA MORNA

LAODICEIA
Contexto Histórico e Cultural
Gr. Laodikeia, provavelmente “tribunal (de justiça) do povo”, “julgamento do povo”, ou “um povo decretou”.

Uma importante cidade do oeste da Ásia Menor e que pertencia à Frígia. Situava-se numa extremidade do vale do rio Lycus, um tributário do Meandro e entre montanhas que se elevam a alturas que se encontram entre os 2440 e os 2750 metros. Foi provavelmente fundada por Antíoco II (261-246 AC), que lhe deu este nome em honra da sua irmã e mulher Laodice. Foi povoada por sírios e judeus vindos de Babilónia. A cidade só se tornou importante quando se tornou parte da província romana da Ásia, organizada no século II AC. Ficou famosa nos tempos do NT como sendo um local onde se podia adquirir lã preta brilhante e vestuário preto manufaturado nesta cidade, sendo que ambos os artigos eram exportados para muitos países. Também muito conhecido em todo o mundo oriental era o “pó frígio” medicinal utilizado para os males dos olhos. A cidade tornou-se tão rica que, quando foi destruída em 60 DC por um tremor de terra, os seus cidadãos, ao contrário dos das outras cidades (Colossos e Hierápolis) que também sofreram com esta tragédia, recusaram a ajuda que Roma lhes ofereceu e reconstruíram a sua cidade com os seus próprios recursos. A cidade mudou de mãos várias vezes nos séculos seguintes e foi finalmente destruída no século XIII pelos turcos. Desde então tem-se mantido em ruínas, servindo de pedreira onde a cidade vizinha de Denzli vai buscar os materiais de construção de que precisa. O local em ruínas tem o nome de Eski Hissar, que significa “velho castelo”.
As ruínas permaneceram inexploradas até que uma expedição da Universidade de Laval, Quebeque, escavou a antigo Ninfeu entre 1961 e 1963. Descobriu-se que esta estrutura tinha sido destruída por um tremor de terra no século V DC. Partes deste edifício arruinado foram, consequentemente, convertidas numa casa de adoração cristã, enquanto que o resto continuou a servir os cidadãos de Laodiceia como fontes de água.
Existiu na cidade uma igreja cristã no tempo em que a carta de Paulo aos colossensses foi escrita (62 DC) mas, aparentemente, Paulo nunca esteve na cidade (Cl 2:1). É possível que Epafras, um nativo desta cidade vizinha de Colosso, fosse o impulsionador do cristianismo nessa região (caps. Cl 1:7; Cl 4:12). Chegou a Laodiceia uma carta de Paulo, ao mesmo tempo que os colossensses também recebiam uma (cap. Cl 4:16). É provável que esta carta se tenha perdido, tal como aconteceu com outras cartas de Paulo (cf. 1Co 5:11). Desde o tempo de Marcion (150 DC) que se sugere frequentemente que a carta aos efésios é a carta perdida que fora dirigida aos laodicenses porque as palavras “aos santos que estão em Éfeso” (Ef 1:1) são pobremente confirmadas por provas manuscritas. Uma carta apócrifa de Paulo dirigida aos laodicenses, pertencente ao século V DC e existente em traduções latinas e árabes, é composta por uma mistura de passagens das cartas aos gálatas e aos efésios.
Uma das sete cartas, no Apocalipse, é dirigida à igreja de Laodiceia (Ap 3:14-22). As repreensões contidas nesta carta indicam que a igreja não se encontrava muito bem e as referências à riqueza, ao colírio e aos vestidos brancos são explicados por um conhecimento da história da cidade, da sua importância econômica e orgulho e dos seus produtos industriais.

LAODICEIA, UMA IGREJA MORNA - LIÇÃO 9

OBJETIVOS
Descrever a situação espiritual da Igreja de Laodicéia.
Conscientizar-se de que a riqueza da igreja está em manter comunhão com o Senhor.
Saber como manter a igreja fervorosa espiritualmente.

INTRODUÇÃO
Palavra Chave
Morno: Desprovido de calor, de efervescência, de vida; monótono, aborrecido.

Nesta aula estudaremos alguns aspectos da igreja de Laodicéia e deles tirar algumas mensagens para a nossa vida diária.
- Laodicéia de nada tinha falta, possuía tudo em abundância;
- Contudo, aos olhos do Senhor, era uma igreja pobre, cega e miserável;
- O que lhe sobejava em riquezas temporais, faltava-lhe em bens espirituais;

- É uma representação fiel de algumas igrejas atuais, que têm substituído o Reino de Deus, por impérios humanos e interesses pessoais.

- Sabemos que o nosso Mestre Jesus não mudou, e se interessa pela qualidade espiritual de sua Igreja, qualidade de vida espiritual é ter uma vida cristã sem mistura com o pecado.

I. A IDENTIFICAÇÃO DE JESUS

- Conforme vimos, para cada igreja o Senhor se identifica conforme a necessário, isso enfatiza o seu poder e domínio sobre a Igreja.
- Para a igreja em estudo, Ele se identifica como: “Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus” (Ap 3.14).

1. A testemunha fiel e verdadeira.
- Considerando que a igreja de Laodicéia estava vivendo sob a máscara da mentira e aparência, O Senhor Jesus apresentar-se, ao seu pastor, como a Testemunha Fiel e Verdadeira.

- Conclui-se, pois, que a Igreja de Cristo tem a responsabilidade e obrigação de sustentar a verdade evangélica neste século maligno e mentiroso (1 Tm 3.15), que troca a verdade pela mentira sem temor algum. 

2. O princípio da criação de Deus.
- O anjo da igreja em Laodicéia, esqueceu-se da dependência divina, extravasa-se em presunções: “Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta” (Ap 3.17).

- O Senhor Jesus, manifesta-se como o “princípio da criação de Deus”, que significa aqui, “fonte”, “origem”, descrevendo assim a Cristo, tanto na Sua atuação na Criação original (1 Jo 1.14; Cl 1.15-18), como Sua obra ao suscitar a Nova Criação (1 Co 5.17).

- O Senhor Jesus confronta o anjo da igreja, mostrando a futilidade e da instabilidade dos recursos materiais, e se a igreja tem alguma coisa boa, é mérito exclusivamente do Senhor Jesus (Ef 1.3), alem de mostrar que tudo quanto há no mundo existe por causa dele e para Ele (Rm 11.36).

II. A SITUAÇÃO ESPIRITUAL DA IGREJA DE LAODICEIA

O Senhor Jesus na Sua Onisciente (atributo incomunicável de Deus), conhecia a real situação de Laodicéia. Esta igreja, que vivia sob a máscara da mentira, é desmascarada ou confrontada pela Testemunha Fiel e Verdadeira.

1. Mornidão espiritual.
- Se Laodicéia fosse fria, buscaria o calor de um avivamento; se quente, espalharia esse mesmo avivamento até aos confins da terra. Morna, porém, faz-se indiferente a Deus e à sua Palavra. Por isto, o Senhor repreende-a: “Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente!” (Ap 3.15).

- Esta mornidão pode ser aplicada com facilidade, ao estado espiritual da igreja no sentido de se misturar com o secularismo ou com o pecado (mentira, orgulho, falsidade e etc...) diretamente.

- Esta mornidão retrata a infidelidade ao Senhor Jesus, pois Ele não divide sua igreja com o pecado. A igreja de Laodicéia estava dividida, tentando servir a dois senhores (Mt 6.24), desagradando portanto ao Senhor Jesus, necessitando urgentemente de arrepender-se e servir apenas ao Senhor.

2. Arrogância espiritual.
- Além dessa indiferença doentia e crônica às coisas de Deus, o anjo da Igreja em Laodiceia era soberbo e arrogante.
- Supunha que, por ser rico e de nada ter falta, achava-se acima das providências divinas.
- Tal prosperidade levara-o ao orgulho fatal. Somente um tolo diria tal coisa: “Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta” (Ap 3.17).

- O discurso do anjo da igreja de Laodicéia equiparou-se ao discurso de Lúcifer (Is 14.13,14).

- No mesmo erro incorre algumas igrejas que, por causa de sua prosperidade material, julgam-se ricas, mas espiritual e ministerialmente são paupérrimas.

3. Falta de percepção do próprio eu.
- Apesar de todos os seus bens materiais, Laodicéia em nada diferia de um esmoler espiritual: “e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu” (Ap 3.17).

Paralelo, Adão/Laodicéia.
- Se Adão logo após a Queda percebeu-se nu, o pastor da igreja em Laodicéia julgava-se bem vestido e ornado.

Neste ponto o comentarista trata o comportamento de Adão quando este pecou.
- Se o primeiro homem teve os olhos abertos para enxergar a própria nudez, o anjo de Laodicéia achava-se, mesmo despido, em trajes de gala.

- E se Adão, reconhecendo a própria carência, coseu aventais da figueira, aquele obreiro, embora descoberto, desfilava toda a sua nudez diante das ovelhas. Infelizmente, ninguém tinha coragem de dizer que o pastor estava nu. Foi preciso que o Pastor dos pastores endereçasse-lhe uma enérgica carta apontando-lhe a nudez, a pobreza e a cegueira espiritual.

Outros exemplos de pessoas que reconheceram o seu estado espiritual crítico:
- Davi, 2 Sm 12.13; Sl 51.11;
- Filho pródigo, Lc 15.17.

Aplicação.
- Como estão as suas vestes espirituais? São ainda alvas? Ou anda você nu sem o saber? “Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça” (Ec 9.8).

III. COMO REAVIVAR UMA IGREJA MORNA

Temos a impressão de que Laodiceia era um caso perdido. Todavia, o Senhor Jesus não havia desistido dessa ainda amada e querida igreja. Juntamente com a reprimenda e a censura, envia-lhe Ele a receita de um grande e poderoso avivamento: “Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os olhos com colírio, para que vejas” (Ap 3.18).
O anjo daquela igreja deveria fazer, com a máxima urgência, as seguintes aquisições junto ao Cordeiro de Deus:

1. Ouro refinado pelo fogo.
A menos que o anjo da Igreja em Laodiceia adquirisse os tesouros da sabedoria e da ciência em Cristo, continuaria a levar uma vida miserável (Cl 2.2,3). Como adquirir tais tesouros? Cristo no-los coloca à disposição. Não quer você apossar-se desses tesouros e ter uma comunhão mais íntima com o Senhor?

2. Vestiduras brancas.
Redimidos pelo sangue do Cordeiro, nossas vestes tornaram-se mais alvas que a neve (Is 1.18). Sim, Ele mudou-nos as vestiduras que, manchadas pela iniquidade, envergonhavam-nos diante de sua justiça e santidade (Zc 3.1-10).
Como está você diante de Deus? Nu? Ou revestido da graça divina?

3. Colírio. 
A cegueira espiritual era o grande problema da igreja em Laodiceia: não conseguia ver a própria miséria nem podia perceber a sua nudez. Por isso o Senhor Jesus aconselha o seu anjo: “aconselho-te que de mim compres [...] colírio, para que vejas” (Ap 3.18).
Sabe onde poderá você encontrar o colírio recomendado pelo Senhor? Nas Sagradas Escrituras. Lendo-a, conseguimos ver todas as coisas perfeitamente (Sl 119.105).

CONCLUSÃO

Embora abastada e próspera, a orgulhosa Laodiceia não era rica diante de Deus. Voltemos à manjedoura! Enriqueçamo-nos daquEle que se fez pobre por amor de nós. Vençamos a mornidão espiritual, pois o Senhor Jesus promete-nos uma grande e verdadeira recompensa: “Ao que vencer, lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono” (Ap 3.21).




Bibliografia
Bíblia de Estudo - SHEDD

3 comentários:

  1. A paz do Senhor Jesus querido irmão em Cristo.

    Há muito que estudamos a carta a Igreja de Laodiceia; haja vista que ela é uma mostra bem presente das condições espirituais reinante nas "igrejas" dos últimos dias.Visto que vemos nela claramente o materialismo e com ele a vaidade em todos os sentidos; a cegueira espiritual e assim por diante. No entanto, muito embora nos dias do Apóstolo Paulo ela até podia ser uma igreja que estava em uma casa "humilde", mas já mostrava problemas sérios de contaminação, pois visto que em na carta aos Colossenses o apóstolo está EM GRANDE COMBATE POR AMBAS.

    Se condignamente FIZERMOS UMA PONTE ENTRE A CARTA AOS COLOSSOS E A CARTA AOS LAODICENSES NO APOCALIPSE, vemos profundamente que esta igreja encaminhava-se FUTURAMENTE para o seu opróbrio,VISTO QUE: A mesma condição espiritual por ora da igreja de Colossos dava mostras de igualdade em Laodiceia.

    Se nós colocarmos em paralelos as duas cartas veremos que as peças irão se encaixar em seus contextos. Certamente que não precisaremos ler a carta apócrifa aos laodicenses a qual já existe cópias por estudiosos locais, pois ela versa sobre o mesmo assunto em questão.

    A igreja de Laodiceia degradou-se pela vontade do povo (Oseias 4:9 "Por isso, como é o povo, assim será o sacerdote"), onde o povo foi destruído porque lhes faltou o conhecimento, (4:6). As heresias (vontade do homem) estão entrando na igreja do Senhor Jesus Cristo PELA VAIDADE; PELO MATERIALISMO e PELA SENSUALIDADE.

    A santidade é tri-una em espirito, alma e corpo os quais devem ser achados irrepreensíveis na vinda do Senhor Jesus Cristo, E ISTO, É DE DENTRO PARA FORA. Aquilo que o nosso corpo reflete em todos os sentidos, é daquilo que o nosso espirito e alma está imbuídos.

    É COMUM VER-SE DIZER QUE OS MAIORES ENCARGOS ESTÃO SOBRE A MULHER, NÃO DISCERNINDO QUE ELA É A FIGURA SÓBRIA E MISTERIOSA DA IGREJA DE CRISTO CONFORME EFÉSIOS 5:22 AO 33; e que o homem em si deveria também ser uma espécie de figura do Senhor Jesus.

    Somos peregrinos nesta terra e o NOSSO CORPO ESTÁ MORTO PARA AS COISAS QUE SÃO DO MUNDO, conforme ROMANOS CAPITULO 8 (e em outras diversas partes do Santo Livro diz-nos que estamos em Cristo mortos para o mundo); onde em ROMANOS 12 Demonstra a quem realmente devemos cultuar tendo o outro em SACRIFÍCIO VIVO, SANTO E AGRADÁVEL A DEUS QUE É O NOSSO CULTO RACIONAL.

    Perdoe-nos o jornal.

    Luis Oliveira do Blog e programa radiofônico "É HORA DE DESPERTAR".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu nobre irmão, gostei do seu comentário e do seu posicionamento, pois de fato, muitos líderes tem adulterado a Santa Palavra em troca de posição social, ou por torpe ganância, fato este visto principalmente por alguns líderes midiáticos. Mas apesar do senário espiritual que estamos vivendo, devemos permanecer firmes em Nosso Mestre Jesus, pois Ele é o nosso objetivo primeiro e ultimo. Deus te abençoe, fique na Paz do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

      Excluir
  2. Gostei muito do seu blog. Que Deus o abençoe e guarde.

    ResponderExcluir

- Deixe o seu comentário;
- Assim que puder responderei;
- Faça desse espaço um lugar de crescimento espiritual;
- Grato por sua visita;
- Deus te abençoe.